Página InicialQuem SomosOnde EstamosParceiros


REGIMENTO INTERNO

PRINCÍPIOS GERAIS

1.Somos uma Casa Espiritualista e também seguimos os princípios que norteam o espiritismo em uma base científica, filosófica e religiosa (moral), pautadas na Codificação de Allan Kardec e no Evangelho de Jesus Cristo. Desta forma, temos um corpo doutrinário-filosófico e teosófico organizado e acreditamos existir no homem uma individualidade (alma ou Espírito), bem como na sua sobrevivência após a morte do corpo carnal, que nos permite dizer: Somos Espiritualistas.

2.Todos os trabalhos espirituais devem ser iniciados e encerrados com uma prece.

3.O compromisso, a pontualidade, a responsabilidade, a assiduidade e a sobriedade devem ser observados em todas as atividades desenvolvidas pelos trabalhadores da seara do bem.

4.É dever e responsabilidade dos trabalhadores estudar permanentemente a Doutrina Espírita em seus múltiplos aspectos, além de buscar o conhecimento de outras linhas filosóficas e/ou religiosas dentro dos ensinamentos da moral cristã, bem como entender a sua mediunidade a cada novo progresso e estar sempre aberto a novos conhecimentos.

5.O bom entendimento e o relacionamento fraterno entre todos é condição indispensável para o desempenho de tarefas nobres de amparo superior a que nos propomos. A harmonia e o amor fraternal são os maiores instrumentos de defesa do grupo.

6.Cada trabalhador deve estar preparado para servir onde for solicitado, de acordo com a necessidade da casa e entendimento entre os Dirigentes e a Direção da Casa.

7.A CASA DO IRMÃO CRAVO desenvolverá cursos e palestras visando à formação de novos grupos ou instituições dedicadas à caridade pública e orientações pela Moral Cristã.

8.Todos os trabalhos espirituais a serem desenvolvidos pela CASA DO IRMÃO CRAVO deverão ser submetidos pelos Diretores Espirituais à aprovação do Mentor Espiritual Irmão Cravo, antes de ser posto em prática.

9.Todo trabalhador para que possa participar dos trabalhos desenvolvidos pela Casa, deverá ser avaliado pela Diretoria e dirigente do respectivo trabalho, levando-se em conta o nível de conhecimento necessário para a realização do mesmo.

10.Toda e qualquer alteração nas normas de condutas nos trabalhos desenvolvidos pela casa deverão ser apresentadas, avaliadas e autorizadas pela Diretoria da Casa antes de ser colocada em prática.

11.Todos os trabalhos da casa têm que seguir as normas e planejamentos da Diretoria e estarem autorizados pela equipe espiritual que os assistem.

12.Novos dirigentes de trabalhos deverão ser nomeados e avaliados pela Diretoria para assumirem seus cargos.

13.O trabalhador só poderá iniciar suas atividades na casa mediante autorização da Diretoria de Ensino, em comum acordo com a Diretoria Espiritual e quando necessário com o Dirigente dos trabalhos. A formação em cursos básicos e intermediários é primordial para que esse trabalhador venha atuar na Casa.

14.Na impossibilidade de comparecimento aos trabalhos e/ou atividades da casa, previamente acordadas, o trabalhador deverá informar ao dirigente do trabalho a sua ausência, para que o mesmo busque, em tempo hábil, a sua substituição sem prejuízos para o trabalho e/ou a atividade a ser realizada.

15.Caso o médium se ausente por dois trabalhos, ou mais, quando do seu retorno deverá inteirar-se do ocorrido durante a sua ausência, bem como verificar junto aos dirigentes se está apto a retomar suas funções dentro do grupo, ou se necessita de reequilíbrio energético. Somente após essa consulta, ele poderá exercer novamente as suas funções.

16.O estudo e o aprimoramento são condições básicas obrigatórias para que os trabalhadores exerçam as suas funções na Casa.

17.O trabalhador ou candidato dos trabalhos da casa que mostrar-se desinteressado, indisciplinado ou não aceitar as normas da casa, ou ainda, não buscar harmonizar-se, corrigir-se e ajustar-se às orientações da doutrina exercida na casa, será convidado a se retirar dos trabalhos.

18.Todos deverão tomar conhecimento e acatar esse regimento interno e, caso não o faça, deverá apresentar suas razões por escrito para que a Diretoria possa avaliá-las e tomar providências.

INSTRUÇÕES NORMATIVAS

AOS DIRIGENTES E MÉDIUNS COMPETE:

1.Conhecer, acatar e fazer cumprir as determinações da Diretoria da Casa;

2.Manter a ordem e a disciplina dos trabalhos pela liderança e coordenação, de forma fraterna, porém enérgica, evitando práticas esdrúxulas ou contrárias à moral evangélica;

3.Ter sempre um companheiro para substituí-lo em seus eventuais impedimentos;

4.Conhecer as aptidões e tendências de seus médiuns, evitando possíveis constrangimentos;

5.No atendimento fraterno e espiritual aos encarnados ter o cuidado de filtrar o que vai revelar ao "assistido", não citando mazelas, situações, ou impressões que possam criar constrangimentos ou problemas maiores, por mais claras que sejam as visões, ou entendimentos a respeito do problema do assistido. Procurar sempre dar orientações positivas sem passar informações ameaçadoras, nem fazer qualquer tipo de previsões;

6.Tratar o assistido encarnado ou desencarnado agressivo, vingativo ou mistificador, como qualquer irmão necessitado que precise de compreensão e ajuda;

7.Manter o grupo conscientizado de seus deveres como médiuns espiritualistas cristãos a serviço do amor e da caridade, assistindo-os e orientando-os em suas dificuldades, sempre dentro da filosofia deixada por Jesus Cristo;

8.Ser um grupo unido, empenhado em fazer o melhor, coeso e fraterno, para cada dia ser mais forte e equilibrado e com isso obter melhores resultados em tudo que for feito. A harmonia entre si é primordial para que haja a consonância com todas as energias necessárias à realização dos trabalhos que forem feitos para a ajuda e a assistência dos necessitados, sejam eles encarnados ou desencarnados;

9.Analisar cuidadosamente o conteúdo das mensagens e informações recebidas, sob o crivo do bom senso, tendo em vista que ninguém está a salvo do assédio e das interferências de espíritos mistificadores e brincalhões. Os mensageiros do bem jamais sugerem qualquer pensamento ou atitude que contrarie o Evangelho de Jesus Cristo;

10.Manter silêncio sobre o que for revelado nos atendimentos, dado que a ética evangélica recomenda discrição. O que ocorre na sala de atendimentos mediúnicos não deve cair no domínio público;

11.Os médiuns deverão estar presentes na Casa às 19h45, salvo aqueles que antecipadamente informarem à Diretoria sobre a sua dificuldade de chegada nesse horário. Ao chegarem deverão dirigir-se à sala de passes e:

•Fazer uma oração, harmonizando-se com o ambiente;

•Dar-se um Auto Passe e entrar na Sintonia dos trabalhos daquele dia;

•Às 20h00 horas, dirigir-se ao salão de palestras e assistir a palestra e o início dos trabalhos, exceto aquele que porventura tiver solicitada a sua permanência nas salas de passes;

•Após o término da Palestra, antes do encerramento da abertura, dirigir-se às Salas de Passes e preparar-se para o início dos Trabalhos, em Silêncio e em Oração.

12.Caso o médium, após o Auto Passe não se sentir equilibrado, de acordo com o que aprendeu nos treinamentos preparatórios, deverá solicitar a intervenção de um Dirigente para a verificação do seu desequilíbrio;

13.O dirigente do trabalho, notando que algum médio não esteja em sintonia com o grupo, por algum motivo de desarmonia energética, será solicitado que o mesmo não participe daquele trabalho e o orientará aonde o mesmo deverá ficar até que se harmonize novamente.

AOS TRABALHADORES DA CASA COMPETE:

1.Estudar, orar e vigiar seus sentimentos;

2.Estar consciente de que todos somos filhos do mesmo Pai, nem superiores, nem inferiores uns aos outros;

3.Autocriticar-se, identificando os próprios erros, corrigindo-os;

4.Reconhecer suas responsabilidades para com o trabalho, aprendendo a renunciar em favor do compromisso assumido livremente;

5.Abster-se de melindres. A humildade nos fará muito bem;

6.Evitar o uso de adornos pessoais excessivos, durante os trabalhos;

7.Usar roupas cômodas, discretas e adequadas ao ambiente, preferencialmente, de cores claras. A camiseta da "Casa do Irmão Cravo" é essencial, pois foi adotada como vestimenta uniforme que identifica o trabalhador;

8.Evitar vestimenta de couro e seda por serem antimagnéticas e retém energias negativas e prejudicam o fluxo de energias mais sutis;

9.Participar obrigatoriamente e ativamente da escola de educação mediúnica, cursos e explanação doutrinária, a fim de beneficiar-se com os ensinamentos nela contidos e poder agir com conhecimento e sabedoria no decurso dos trabalhos;

10.Estar no local de trabalho no mínimo (quinze) minutos antes do horário estabelecido para o trabalho (exceto aqueles que por conta do rodízio de veículos não possa chegar nesse horário) – vide item 11 – Aos Dirigentes e Médiuns Compete;

11.Ao iniciar os trabalhos, entregar-se confiante a JESUS CRISTO, oferecendo-lhe sua organização mediúnica para que se realizem os trabalhos necessários. A Fé esclarecida e o devotamento ao semelhante serão fatores de suma importância na efetivação da tarefa;

12.Controlar as manifestações mediúnicas que veicula, regulando, quando possível, a respiração ofegante, gemidos, chiados, contorções, batimentos de mãos ou pés, ou quaisquer gestos violentos. O médium é responsável pelo equilíbrio das manifestações que se processem por seu intermédio.

13.Evitar trabalhos particulares fora do âmbito do grupo ou manifestações de espíritos fora do centro, salvo em situações emergenciais. Aquele que se deixa influenciar entregando seu aparelho mediúnico sem método e sem disciplina, torna-se presa fácil de espíritos inferiores;

14.Pautar-se dentro da mais pura moral evangélico-cristã;

15.Ter atitude mental de confiança, colaboração, disciplina e harmonia. Cada componente deve integrar-se nos objetivos gerais do trabalho evitando fixar o pensamento em situações de interesse particular;

16.Dar todo apoio vibratório, durante o trabalho, ao dirigente e aos colegas, para que todos possam captar com mais segurança as sugestões do plano espiritual;

17.Conter curiosidade injustificável, durante os trabalhos, ante os problemas do comunicante, procurando somente envolvê-lo em vibrações de ajuda fraterna;

18.Desvencilhar-se da necessidade de elogios pela assiduidade ao trabalho, ou pelos resultados obtidos através de atendimentos mediúnicos, pois a assiduidade e a responsabilidade devem ser encaradas como simples comportamento normal de qualquer pessoa sincera e honesta e os resultados estão a mercê da Justiça Divina;

19.Apagar a preocupação de estar em permanente intercâmbio com os espíritos protetores e acautelar-se contra a cega rendição à exclusiva vontade deste ou daquele espírito. Evitar consultá-los a respeito de problemas que devam e possam resolver por si mesmos ou que tenham orientação nos ensinamentos da Doutrina Espírita;

20.Ter consciência de que as manifestações fenomênicas ocorridas em reuniões de que participe, são menos importantes que o sentido moral dos fatos e das lições aprendidas nos trabalhos.

21.Estar ciente de suas responsabilidades para com a Doutrina, a Casa e o Grupo de Trabalho a que pertence; se por ventura vier a incorrer em erro, sendo advertido deverá corrigi-lo imediatamente, caso contrário será advertido e, por último, não havendo mudanças de atitude ou comportamento, será convidado a retirar-se do grupo.

22.Estar ciente de que não será permitido participar dos trabalhos espirituais da casa: pessoas alcoólatras, sexólatras ou usuário de drogas, dado que estes devem ser considerados doentes graves e "doente não pode cuidar de doente".

23.Estar ciente de que somente após o atendimento do último irmão (encarnado ou desencarnado), que acorrer a casa, é que se dará início ao atendimento de passes aos médiuns trabalhadores daquele dia, exceto se durante os atendimentos houver a necessidade do reequilíbrio energético desse trabalhador.

ATIVIDADES DOUTRINÁRIAS

MORAL CRISTÃ

1.Todos os trabalhos desenvolvidos pela Sociedade Espiritualista e Beneficente Irmão Cravo (a CASA DO IRMÃO CRAVO), são embasados na Doutrina dos Espíritos codificada por Allan Kardec e no Evangelho de Jesus, embora não descartemos outras orientações, desde que esteja dentro do entendimento e nas bases que consideramos ser Cristã.

2.As reuniões públicas devem ser evangelicamente orientadas com temas espiritualistas cristãos, de forma clara, respeitando possíveis opiniões religiosas divergentes. A Moral Cristã deve esclarecer e orientar, não polemizar.
PALESTRAS PÚBLICAS

1.As palestras públicas serão ministradas por pessoas previamente avaliadas e autorizadas pela Diretoria da Casa.

2.Os temas abordados devem ser escolhidos pela Diretoria segundo planejamento prévio e os mesmos deverão abordar assuntos referentes à Doutrina Espiritualista Cristã.

3.O passe magnético deverá ser ministrado nos participantes depois das palestras, exceto em casos especiais de pessoas com problemas de saúde, que não possam permanecer em contato com o público por muito tempo, ou de crianças acompanhadas dos pais, nas mesmas condições.

4.A palestra pública é parte integrante dos trabalhos da casa e deve seguir as deliberações deste regimento no item "Princípios Gerais".

ESTUDOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

1.É objetivo da CASA DO IRMÃO CRAVO, criar e manter cursos, além dos já existentes, de orientação filosófica, teosófica, científica religiosa, sobre Espiritismo, Espiritualismo, Psiquismo e Técnicas Socorristas, visando preparar o homem-espírito para sua destinação superior.

2.Todos os cursos deverão compor-se de parte teórica e prática, quando necessário, e é pré-requisito para participar dos trabalhos da casa.

3.Todos os cursos serão ministrados gratuitamente. Em alguns casos apenas o material didático será cobrado a preço de custo por serem produzidos fora da CASA DO IRMÃO CRAVO.

4.Todos os cursos ministrados na CASA DO IRMÃO CRAVO terão análise prévia da Diretoria, bem como autorização para a sua realização.
EDUCAÇÃO DA MEDIUNIDADE

1.A CASA DO IRMÃO CRAVO mantém cursos de educação e orientação mediúnica, visando não só preparar os trabalhadores para as tarefas da própria casa, como também formar médiuns para outras instituições do movimento Espírita e/ou Espiritualista.

2.Estes cursos terão finalidade apenas educativa, sendo vetada a prática de qualquer atendimento ou desobsessão durante o curso, que não tenha cunho exclusivamente educativo para os seus participantes.

3.A frequencia e a disciplina devem ser observadas de forma rigorosa, visando preparar médiuns responsáveis, disciplinados e conscientes.

4.O aluno do curso de educação mediúnica que mostrar-se desinteressado, indisciplinado ou não aceitar as normas da casa, ou ainda, não buscar harmonizar-se, corrigir-se e ajustar-se às orientações passadas, será desligado do curso.

5.Mesmo que o aluno tenha passado por todos os cursos requeridos na casa, para a realização do trabalho mediúnico o mesmo deverá ser aprovado pela Diretoria de Ensino e Espiritual para iniciar seus trabalhos na Casa, em razão de necessitar desenvolver as habilidades necessárias à realização dos trabalhos.

EVANGELIZAÇÃO DA INFÂNCIA E JUVENTUDE

1.Sabemos que é de responsabilidade de todos os pais conduzirem seus filhos para as atividades evangélicas, visando uma educação consciente e bem orientada. Por esta razão a CASA DO IRMÃO CRAVO por ser uma casa onde a religiosidade está presente, também tem a sua parcela de responsabilidade em tornar essa evangelização uma realidade.

2.A CASA DO IRMÃO CRAVO deverá criar e manter escolas de evangelização para a infância e juventude, criando também condições para o desenvolvimento integral do ser humano, tais como atividades artísticas e culturais.

3.É de responsabilidade do Dirigente do trabalho, sob a orientação e avaliação das Diretorias de Ensino, Espiritual e Infância e Juventude, a elaboração dos planos de trabalhos e desenvolvimento de projetos voltados à evangelização dos jovens e crianças.


ATIVIDADES SOCORRISTAS E ASSOCIATIVAS

DISPOSIÇÕES GERAIS:


1.O ambiente deve ser preparado sob orientação do dirigente do trabalho, realizando uma prece de abertura e a leitura e breve discussão de temas espíritas e/ou espiritualistas evangélicos cristãos com o objetivo de harmonizar os trabalhadores e o ambiente.

2.Os médiuns devem estar perfeitamente harmônicos e entrosados para que o trabalho ocorra com a devida fluidez.

3.O trabalho deve ser dirigido por um dos trabalhadores para melhor harmonia do conjunto.

4.É proibido a qualquer trabalhador e/ou médium o consumo de alcoólicos, no mínimo 48 (quarenta e oito) horas antes do trabalho na CASA DO IRMÃO CRAVO.

5.É obrigação de todos os médiuns e trabalhadores treinarem e orientarem os colegas, que estão ingressando nos trabalhos da casa, bem como todos devem estar conscientizados de suas responsabilidades com os horários, dias de trabalho, obrigações com a casa e organização de seus setores de trabalho, além de seguir as orientações e diretrizes da Diretoria e dirigentes dos trabalhos.

6.O Dirigente do trabalho deve instruir o assistido para a necessidade de prece e postura física e mental receptiva.

7.Na eventualidade do assistido incorporar durante o passe, o dirigente deve conversar rapidamente com o espírito comunicante, solicitar ao dirigente espiritual do trabalho o seu encaminhamento ao departamento adequado no astral.

8.Toda e qualquer pessoa antes de ser submetida a qualquer tratamento na CASA DO IRMÃO CRAVO, deverá se submeter ao atendimento fraterno (entrevista), para que se possa fazer uma avaliação prévia do caso e encaminhamento para o tratamento mais adequado ao caso dele.

O PASSE MAGNÉTICO

Quando ocorrer a presença do assistido em grande desarmonia, o médium que o esteja atendendo deverá aplicar imediatamente um passe dispersivo e orientá-lo a buscar tratamento fraterno.

O TRATAMENTO DE EQUILÍBRIO FÍSICO E ESPIRITUAL (MEDICINA ESPIRITUAL)

1.Todo assistido que tenha que passar pelo tratamento de Medicina Espiritual, deverá passar obrigatoriamente pelo tratamento desobsessivo e de equilíbrio espiritual.

2.O tratamento de Medicina Espiritual deverá ser precedido de um atendimento anterior, de preferência em dia adequado (terça-feira) para somente aí ser encaminhado para o tratamento de cura (quinta-feira, ou sábado), exceto aquelas pessoas vindas de locais distantes, ou de outras cidades, que não possam estar presentes em dia anterior. Neste caso a pessoa passará por um atendimento de passe dispersivo e/ou desobsessivo, em sala separada e somente então poderá ser atendido no trabalho de Medicina Espiritual daquele mesmo dia.

3.O assistido deverá passar por uma entrevista antes de ser atendido, quando preencherá uma ficha contendo o problema de saúde por que passa e qual o tratamento médico que vem fazendo. Caso ainda não esteja sendo tratado pela medicina convencional, o entrevistador deverá orienta-lo a procurar um médico imediatamente.

4.No tratamento de Medicina Espiritual, se pressupõe que o assistido também esteja em tratamento médico, pois é imprescindível que assim esteja, para que o tratamento de cura seja efetuado. Ambos são importantes, o tratamento do espírito e da matéria, razão da necessidade de se orientar o assistido para que assim seja feito.

ATENDIMENTO DE MEDICINA ESPIRITUAL À DISTÂNCIA

1.Só será atendida a distância a pessoa que residir em outra cidade ou que, residindo em São Paulo, se encontrar impossibilitada, física ou mentalmente, de se fazer presente. Nestas situações, uma pessoa da família do necessitado deve representá-lo, fazendo a respectiva ligação mental e anotando instruções ou orientações sobre o caso.

2.Seguir todas as orientações contidas no item "Tratamento de Equilíbrio Físico e Espiritual (Medicina Espiritual)".
VIBRAÇÃO A DISTÂNCIA

1.A vibração a distância será realizada com base na lista de nomes trazidos pelos assistidos por ocasião do passe magnético a serem recebidos por estes. Os nomes serão encaminhados à sala de vibrações logo após o recebimento do passe.

2.Os assistidos serão orientados quanto à postura e comportamento durante os trabalhos.
DESOBSESSÃO INDIVIDUAL

1.Durante o atendimento para os passes, após avaliação, em que houver a percepção de casos com características de emergência, grande sofrimento, tentativa de suicídio, ou risco à vida de terceiros, deverá haver encaminhamento do assistido à desobsessão, priorizando-se crianças menores, gestantes e idosos.

2.Não serão considerados emergenciais os casos crônicos, os casos em que o paciente já sabia que o seu problema é de ordem espiritual como no caso de mediunidade não desenvolvida por falta de interesse do paciente.

3.Jamais fazer ao paciente, previsões de qualquer natureza. Apenas devem ser transmitidas a ele orientações de ordem corretiva, ética e religiosa.

4.No caso de o problema estar relacionado com outras pessoas, jamais revelar nomes, dar a entender ou sugerir ao paciente que fulano ou sicrano podem estar envolvidos. A informação deve ser despersonalizada e relacionada como problemas de natureza espiritual.

5.No caso de algum médium perceber, no atendimento ao assistido, seu desencarne próximo, deve silenciar a informação, reportando-se apenas ao Dirigente daquele trabalho o ocorrido.

6.Semelhante comportamento deve ser tomado no caso de revelações referente à vida particular do assistido. Não é função dos médiuns esmiuçar a vida de ninguém. As reuniões de desobsessão são privadas e tem caráter de alta responsabilidade. As revelações são confidenciais.

7.O amor e a educação deverão ser a tônica do atendimento.

8.Os médiuns que trabalham na desobsessão deverão tomar cuidados extremos com suas atitudes, comportamentos e sentimentos, esforçando-se vigorosamente para corrigir seus vícios e traços negativos. Só assim lograrão harmonia e equilíbrio para poder desenvolver um trabalho profícuo e eficiente.

INTERCÂMBIO ESPIRITUAL – ORIENTAÇÕES

1.Por intercâmbio espiritual (Orientações) fica entendido o trabalho de comunicação com o mundo espiritual, especificamente a psicofonia a psicografia dos Mentores para o grupo de trabalhadores e Diretores da CASA DO IRMÃO CRAVO.

2.O intercâmbio Espiritual para Orientações dos Mentores da CASA DO IRMÃO CRAVO aos trabalhadores, somente poderá ser realizado pelos Dirigentes ou Diretores. Caso algum trabalhador captar alguma mensagem e/ou orientação de seus guias, que seja de interesse do grupo, primeiramente ele deverá encaminha-la aos dirigentes dos trabalhos. Dessa forma os dirigentes avaliarão se o momento é oportuno para tal orientação e somente os mesmos terão autoridade para transmiti-las aos trabalhadores, obedecendo-se assim a hierarquia da Casa.

ASSISTÊNCIA FRATERNA - ENTREVISTA

1.Os trabalhadores que realizarão este atendimento serão designados, assistidos e orientados pela Diretoria Espiritual da CASA DO IRMÃO CRAVO.

2.O trabalhador deverá estar apto a atender e ser discreto e ético em relação a tudo que conversar com o assistido, não revelando o seu conteúdo nem expondo o assistido aos demais trabalhadores e encaminhar a sua ficha ao Dirigente do trabalho ao qual o assistido necessite.

3.O Dirigente do Trabalho deverá encaminhar o "assistido" ao trabalho espiritual indicado.

4.Jamais fazer ao paciente, previsões de qualquer natureza. Apenas devem ser transmitidas a ele orientações de ordem corretiva, ética e religiosa.

5.No caso de o problema estar relacionado com outras pessoas, jamais revelar nomes, dar a entender ou sugerir ao paciente que fulano ou sicrano podem estar envolvidos. A informação deve ser despersonalizada e relacionada como problemas de natureza espiritual.

6.Dúvidas e/ou orientações devem ser tiradas com a Diretoria Espiritual da CASA DO IRMÃO CRAVO.

7.Todos os assistidos, quando da primeira vez no tratamento, deverão preencher uma ficha "prontuário" para acompanhamento do seu tratamento, principalmente se este for o Tratamento de Medicina Espiritual.

8.Após a realização de todo o tratamento de Medicina Espiritual, o "assistido" deverá retornar à "Entrevista" para uma reavaliação do seu quadro.


DISPOSIÇÕES FINAIS

1.A CASA DO IRMÃO CRAVO é constituída por ilimitado número de trabalhadores voluntários que se obrigam a conhecer e cumprir as determinações do estatuto e desse Regimento Interno.

2.A CASA DO IRMÃO CRAVO será sustentada e mantida pela contribuição voluntária, das atividades beneficentes realizadas pela casa e possíveis parcerias com instituições públicas e privadas.

3.É obrigação de todos os trabalhadores da CASA DO IRMÃO CRAVO conhecer cumprir e fazer cumprir as determinações contidas neste Regimento Interno.

Este Documento entra em vigor a partir da aprovação da Diretoria e sua respectiva Assinatura.
São Paulo, 04 junho de 2013.

DIRETORIA DA SOCIEDADE
(ELEITA EM 12.06.2012 – 2012 / 2014)

Presidente:
Isabel Vieira Resendes de Almeida

Vice-Presidente:
Décio Duarte

1ª Tesoureira: Darcy Prada Gomes
2º Tesoureira: Carla Solange Gomes

Diretores Espirituais:
Francisco Martins da Silva
Sonia Maria Ribeiro Mendes

Coordenadores de Eventos:
Mafalda De Iorio Rondini
Déa Berenice Dias

Conselho Fiscal:
Tânia Aparecida Soares
Maria Natália Resende Inojossa
Sandra Aparecida Gomes

Conselho Espiritual:
Isabel Vieira Resendes de Almeida;
Décio Duarte;
Francisco Martins da Silva;
Sônia Maria Ribeiro Mendes; e
Darcy Prada Gomes.

Portal 3D + Aí Muda Tudo!